Geral

Novas Metodologias e Infraestrutura para Universidades Estaduais do Paraná

Objetivo das Chamadas Públicas

Implantar novas metodologias de ensino nos cursos de graduação e atualizar a infraestrutura de pesquisa nos cursos de pós-graduação das sete universidades estaduais do Paraná são os objetivos de duas chamadas públicas lançadas pelo governo do estado. Com um orçamento de R$ 10,5 milhões, as iniciativas visam melhorar a qualidade do ensino e da pesquisa nas instituições de ensino superior.

Inovação no Ensino de Graduação

O primeiro edital, com um valor de R$ 5,5 milhões, busca incentivar o uso de técnicas inovadoras nas aulas para aprimorar o processo de aprendizagem dos universitários. Entre as metodologias propostas estão a gamificação, o ensino personalizado e o ensino invertido. Essas abordagens têm o objetivo de aumentar a participação dos estudantes e adaptar o aprendizado ao perfil individual de cada aluno, além de utilizar o tempo de aula para atividades práticas.

Infraestrutura para Pesquisa de Pós-Graduação

O segundo edital, que prevê um investimento de R$ 5 milhões, visa promover melhorias no desenvolvimento de projetos de pesquisa. Os recursos serão destinados à aquisição de equipamentos, modernização de ambientes acadêmicos e pagamento de bolsas de estudo. Esta ação beneficiará os cursos de mestrado e doutorado das sete universidades estaduais, abrangendo diversas áreas do conhecimento.

Áreas Prioritárias e Sustentabilidade

As propostas de ambos os editais devem ser apresentadas nas cinco áreas prioritárias e transversais do Fundo Paraná, definidas pelo Conselho Paranaense de Ciência e Tecnologia. As áreas incluem agricultura e agronegócios, biotecnologia e saúde, energias sustentáveis e renováveis, cidades inteligentes, e sociedade, educação e economia. Além disso, os projetos devem considerar o desenvolvimento sustentável e a transformação digital.

Impacto no Desenvolvimento Socioeconômico

O diretor de Ensino Superior da SETI, Osmar Ambrosio de Souza, destaca que o investimento em ciência reflete diretamente no desenvolvimento socioeconômico sustentável. Segundo ele, a ciência é um dos pilares do progresso social, econômico e ambiental, e essencial para o desenvolvimento de novas tecnologias e soluções inovadoras aplicáveis em diversos segmentos da sociedade.

Iniciativas Específicas para Cursos de Medicina

A primeira chamada pública também prevê um apoio específico para iniciativas voltadas para a prática clínica nos cursos de medicina das universidades estaduais de Londrina (UEL), Maringá (UEM), Ponta Grossa (UEPG), do Oeste do Paraná (Unioeste) e do Centro-Oeste (Unicentro). Do montante total, R$ 1,2 milhão será destinado a essas ações, incluindo R$ 360 mil para bolsas-auxílio. As propostas podem incluir metodologias como orientação e acompanhamento de estudantes em atividades diárias com médicos, simulação clínica e aprendizagem baseada em soluções para casos complexos.