Geral

Variação de preços de alimentos e bebidas no Paraná em fevereiro

Tomate, batata-inglesa e óleo de soja foram os produtos que registraram as maiores quedas nos preços no mês de fevereiro, de acordo com o Índice de Preços Regional Alimentos e Bebidas (IPR – Alimentos e Bebidas) do Estado do Paraná. Essas reduções são reflexo de melhorias na produção e colheita. O tomate teve uma queda de preço de 8,43%, a batata-inglesa de 3,50% e o óleo de soja de 2,91%.

As maiores quedas no preço do tomate foram observadas em Foz do Iguaçu (-14,34%), Cascavel (-14,26%), Curitiba (-11,37%), Ponta Grossa (-7,40%) e Londrina (-2,54%). Já a principal redução da batata-inglesa foi em Maringá (-10,57%), e a maior queda de preço do óleo de soja ocorreu em Cascavel, de 5,09%.

Em geral, o IPR teve a quinta alta consecutiva, chegando a 1,44% no mês passado. Todos os municípios pesquisados apresentaram aumentos na apuração, com destaque para Curitiba (1,74%), Maringá (1,72%), Foz do Iguaçu (1,64%), Ponta Grossa (1,47%), Cascavel (1,05%) e Londrina (1,01%).

Entre os produtos que tiveram aumento de preços em fevereiro, destacam-se a banana-caturra (24,23%), a laranja-pera (12,71%) e o ovo de galinha (11,03%). A alta da banana-caturra foi mais expressiva em Curitiba (26,91%), seguida por Ponta Grossa (26,48%), Londrina (23,90%), Foz do Iguaçu (23,53%), Maringá (23,50%) e Cascavel (21,18%).

As altas mensais do IPR impactaram o índice acumulado em 12 meses, que alcançou variação de 1,97%. Regionalmente, o IPR acumulado entre março de 2023 e fevereiro de 2024 foi de 3,10% em Cascavel, 2,97% em Londrina, 2,44% em Maringá, 2,16% em Foz do Iguaçu, 0,87% em Ponta Grossa e 0,26% em Curitiba.

É importante ressaltar que o IPR utiliza os registros fiscais da Receita Estadual do Paraná e representa cerca de 65% das compras de alimentos e bebidas dos paranaenses. Os dados são fundamentais para a elaboração de políticas públicas regionais e estaduais mais direcionadas em função da situação inflacionária de cada cidade.