Ditador do Sudão mata o povo por um preço de pão

Ditador do Sudão mata o povo por um preço de pão

Foto: Girifna

Um médico e uma criança foram mortos depois que manifestantes tentaram marchar sobre o palácio presidencial nesta quinta-feira (16/01), disse um comitê de médicos ligado à oposição ao ditador do Sudão, Omar al-Bashir.

As vítimas foram identificadas como o Dr. Babiker Abdelhameed e a criança Mohamed Ebeid.

Organizadores do protesto disseram em comunicado que vários manifestantes também ficaram feridos durante as manifestações contra o governo na capital. Segundo testemunhas, a polícia sudanesa disparou gás lacrimogêneo e balas de verdade nos manifestantes.

Os protestos pedindo a renuncia do ditador começaram em 19 de dezembro depois que o governo elevou o preço do pão, eclodindo para outras cidades após o assassinato frio e bárbaro do Dr. Babiker e a criança.

Testemunhas do crime disseram que médico estava tratando de manifestantes feridos em uma casa quando as autoridades a usaram como gás lacrimogêneo. Dr. Babiker saiu, com as mãos para cima, explicou que ele era um médico tratando de manifestantes, e pediu ao grupo para parar a ação. Um policial armado disse: “Então você é o médico que trata essas pessoas?” E atirou friamente matando-o.

O Sudão está entres os países africanos na qual o governo brasileiro perdoou dívidas de quase US$ 1 bilhão de dólares em 2013 no então governo da presidenta Dilma (PT).

 

Compartilhe: