Centro de capacitação entregue hoje prepara fábrica de acelerador linear no país

Centro de capacitação entregue hoje prepara fábrica de acelerador linear no país

Centro de capacitação entregue hoje prepara fábrica de acelerador linear no país

Entrou em operação esta semana, o primeiro centro de treinamento de radioterapia do Brasil, em Jundiaí, município localizado na região de Campinas, próximo à capital paulista, onde serão produzidos aceleradores lineares, equipamentos considerados os mais modernos no tratamento do câncer, o que vai permitir ampliar a infraestrutura para tratamento da doença no país. A unidade de capacitação faz parte do Acordo de Compensação Tecnológica (ACT) assinado entre a empresa Varian Medical e o Ministério da Saúde, que inclui ainda a instalação de uma fábrica no mesmo local, com previsão de operar no primeiro semestre do próximo ano.

Ao participar da inauguração, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, informou que, para viabilizar o empreendimento, o governo fez a maior compra pública de aceleradores lineares do mundo, em um total de 100 equipamentos. Ele esclareceu que alguns desses equipamentos serão fabricados nessa unidade, além de possibilitar a capacitação dos profissionais que lidam com a radioterapia. “Esse centro de treinamento é fundamental neste início, para que as pessoas se qualifiquem para operar os equipamentos que já começaram a ser entregues este ano no país”, disse Barros.

De acordo com o Ministério da Saúde, o centro terá capacidade para treinar 1,5 mil pessoas por ano e servirá de auxílio na expansão da radioterapia no país, o que vai permitir a redução dos gastos públicos, com a vantagem ainda de tornar o país menos dependente do mercado externo. A expectativa da empresa é a de oferecer, regularmente, 13 cursos, formando uma rede de treinamento em parceria com universidades.

Pelo acordo com o Ministério da Saúde, serão investidos R$ 500 milhões para a compra de 80 aceleradores lineares e realização de projetos e obras. Estima-se que a pasta vai diminuir cerca de R$ 25 milhões no custo, em relação ao que era gasto por meio de convênios.

A Varian investiu US$ 20 milhões para ter um centro regional estratégico no mundo e o primeiro da América Latina. A fábrica – que já tem a linha de montagem instalada, mas depende de ajustes e vistorias – e o centro de treinamento ocupam um espaço de 4,7 mil metros quadrados. De acordo com o Ministério da Saúde, a compra de aceleradores lineares faz parte do Plano de Expansão da Radioterapia, que tem como objetivo ampliar o acesso da população a procedimentos oncológicos do SUS.

Em todo o país, já foram entregues, cinco aceleradores lineares para as seguintes localidades: Maceió (AL), Campina Grande (PB), Feira de Santana (BA), Curitiba (PR) e Distrito Federal, onde foi beneficiado o Hospital Universitário de Brasília (HUB).

Dados ainda da pasta indicam que, em seis anos, houve um crescimento de 25,9% nos procedimentos de radioterapia no país, passando de 8,3 milhões (em 2010) para 10,45 milhões (em 2016). Já os recursos destinados aos tratamentos oncológicos (cirurgias, radioterapias e quimioterapias) aumentaram 46%, passando de R$ 2,27 bilhões, em 2010, para R$ 3,33 bilhões, em 2016. Ao longo deste ano, já foram investidos R$ 672,8 milhões.

Compartilhe: